João Batista – A Voz do Deserto – Contos e Estudos Bíblicos

João Batista – A Voz do Deserto. João sempre pregava no deserto porque era um homem simples e também no deserto encontraria pessoas simples, que precisavam ouvir realmente a Palavra de Deus.

João foi enviado ao mundo para pregar aos povos simples, povos que andavam pelo deserto, a vinda daquele que viria para salvar o mundo. O Senhor Jesus Cristo. Jesus nasceria entre nós, igual nascem todos os homens e mulheres deste mundo.

João pregava no deserto porque não seria recebido nos templos nem lhe dariam permissão para pregar neles. Já no deserto ouviam sua pregação pessoas também simples, que não poderiam entrar no templo.

Vinham ouvi-lo pessoas de Jerusalém, toda a Judeia e toda a região circunvizinha ao Jordão (Mateus 3.5).

João Batista

João Batista Voz Deserto Bíblia

João Batista – A Voz do Deserto

João, chamado o Batista, sempre pregava no deserto da Judeia dizendo: — Arrependei-vos, pois está próximo o reino dos céus. João é o enviado de quem o Profeta Isaías falou: — Voz do que clama no deserto: Preparei o caminho do Senhor. Tornai seus caminhos retos.

O livro Isaías diz

“Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus”  (Isaías 40.3). O profeta Isaías escreveu esse texto muitas centenas de anos antes de o profeta João nascer. Ou seja, ele previu o que aconteceria muitos anos depois.

Do que João se alimentava? 

João se alimentava de gafanhoto e mel silvestre. De que maneira ele comia isso, a Bíblia não explica. Nem a quantidade. A Bíblia diz ainda que ele se vestia de maneira muitíssimo simples. Ele se vestia de pelos de camelo, atados por um cinto de couro na cintura. Logo, sua roupa devia ser da cintura para baixo. Para cima decerto seu corpo ficasse exposto às intempéries do tempo.

Assim, tomava sol, chuva e se mantinha sempre pronto a pregar a Palavra de Deus a todos os que se aproximavam dele. João batizava as pessoas nas águas do rio Jordão. Sua fama rapidamente se espalhou e a ele vinham pessoas de Jerusalém, da Judeia e das regiões vizinhas ao rio Jordão. Todos os que o procuravam eram batizadas por ele, se confessassem seus pecados.

Só que muitos fariseus e saduceus também se apresentavam a ele para serem batizados. João lhes disse:

— Raça de víboras! Quem voz ensinou a fugir da ira vindoura?

Produzi, pois, frutos de arrependimento.

João disse isso porque tais pessoas viviam no templo, observando o modo de vida de outras pessoas. Corrigindo os erros dos outros, mas não examinando os próprios erros.

Essas mesmas pessoas iriam irritar Jesus anos depois, em Suas pregações na região da Galileia.

João acrescentou:

— E não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos a Abrão como pai. Eu voz digo que Deus pode suscitar filhos para Abraão, dessas pedras.

Além disso, João lhes disse:

— O machado já está posto à raiz das árvores.

Assim, toda árvore que não produzir bom fruto, será cortada e lançada no fogo.

Ou seja, a árvore deve produzir bom fruto. Assim, a árvore boa produz frutos bons. A árvore má produz frutos maus.

Mateus 3.1-10

Conclusão

  • A Palavra de Deus deve ser pregada em todos os lugares, para todos os povos. Quando Jesus disse aos Seus discípulos “Ide por todo o mundo,  pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Marcos 16.15,16), quis dizer-lhes que eles não deveriam escolher lugares onde ir nem pessoas. Ou seja, não deveriam escolher lugares nem pessoas.
  • Muitos pregadores escolhem os templos por serem os lugares em que encontrarão pessoas dispostas a ouvi-los.
  • Porém, no deserto, passam caravanas transportando fardos. Camelos e cameleiros (criadores de camelos). Essas pessoas andam de maneira bem-simples, humildes mesmo. Não vão ao tempo porque temem nãos ser recebido neles. (Sabemos home em dia que muitas pessoas pensam assim.)
  • João foi enviado por Deus para alcançar o povo desprezado pelos homens. O povo que vivia à margem, longe dos suntuosos templos que existiam na época.
  • As palavras de João eram tão fortes que conseguiam mexer com o intelecto das pessoas. Foi assim que Herodias, mulher do rei Herodes ficou com raiva dele e decidiu matá-lo.  Tanto que ela lutou secretamente por isso que um dia surgiu-lhe a oportunidade. Quis ver a cabeça de João Batista numa bandeja.  Com esse feito maligno ela mata João Batista e ainda se vangloria por ver a cabeça dele da maneira que ela queria.
  • O evangelho de Jesus Cristo deve ser pregado a todos os povos, em todos os lugares, sem distinção. Até no deserto. No deserto da vida de uma pessoa que anda como ovelha desgarrada de Deus. No deserto do intelecto de pessoas que pensam que estão no mundo para se enriquecerem, viver como querem e depois morrer e ir ao encontro do Senhor Deus.

Artigo revisado em 22/08/2014, por José Guimarães

Contos e Estudos Bíblicos

Visite o Mapa do site Contos e Estudos Bíblicos

Siga o blog Contos e Estudos Bíblicos no Twitter

Curta a páginas de fãs do blog Contos e Estudos Bíblicos no Facebook

Receba posts do blog Contos e Estudos Bíblicos em seu e-mail

Que Deus o ilumine e o ajude a compreender ainda mais Sua Palavra.

José Guimarães e Silva

The following two tabs change content below.
Escrever, ler, estudar a Bíblia, orar pelos doentes... É o que José Guimarães e Silva faz,, diariamente. Também ir às igrejas e ouvir pregações acaloradas. Louvar o nome do Senhor Jesus. Fez estudos bíblicos na Escola Dominical da Igreja Presbiteriana de Pouso Alegre. Também fez estudos bíblicos com o Pastor Anderson Beiral, que faz Mestrado em Liderança pela Andrews University. E também com o Irmão Flávio. Reside atualmente em Cuiabá, Mato Grosso. José Guimarães e Silva é autor dos seguintes livros: Poesias Evangélicas, Orações ao Senhor Deus e Palavras que Transformam. Meu lema é: Quem não vive para servir, não serve para viver. O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará.

Latest posts by José Guimarães e Silva (see all)

Comente com Facebook

Comentários com Facebook

Leave a comment