Celebrar a Deus – Estudos Bíblicos sobre a Festa da Páscoa

Artigo escrito por Mauro Melo, do site Pregação Cristã, para ser publicado no site Contos e Estudos Bíblicos.

Celebrar a Deus

– O que é uma festa? Encontro de pessoas com objetivo de se alegrarem juntas por algum acontecimento.
Deus mandou o povo de Israel celebrar várias festas ao ano. Por exemplo:

Exemplo 5:1

  • Festa da Páscoa e dos Pães ázimos, que duram 7 dias pela libertação do Egito.
  • Festa da Colheita – celebrada 50 dias depois da Páscoa com ações de graças pela colheita do trigo.
  • Festa das Tendas – realizada no fim da colheita de outono.

O povo fazia tendas e festejava por 7 dias para lembrar de quando viviam em tendas e para dar graças pela colheita de uvas.

Na Festa das Primícias,o povo comemora os primeiros frutos colhidos.

Na Festa da Dedicação, o povo celebra a dedicação do Templo reconstruído a Deus.

Nos dias de festa, ninguém devia trabalhar ou fazer coisas comuns do dia a dia.

Era para descansar, lembrar com gratidão o que Deus tinha feito e se alegrar.

 

O que é Celebrar?

Celebrar é um modo de honrar ao Senhor pelo que nos faz. (Salmos 118:24)

Temos que assumir a responsabilidade pela nossa alegria e nunca exigir a qualquer outra pessoa a função de manter-nos felizes.

É comum acabarmos ficando infelizes a maior parte do tempo se dependermos da reação das pessoas como fonte de alegria e bem-estar.

Por outro lado, devemos procurar fazer coisas que alegrem as pessoas.

Em Mateus 26:6-12, Maria derramou sobre Jesus o óleo perfumado que valia cerca de um ano de salário, mas essa atitude abençoou Jesus e o confortou para enfrentar o sofrimento e morte que iria passar.

A sincera demonstração de amor de Maria tocou profundamente o coração de Jesus.

Deus mandou pessoas inesperadas para animar Jesus.

Ele estava na casa de um leproso e foi ungido por uma mulher que tinha sido liberta de 7 demônios.

Muitas vezes, recebemos ânimo de pessoas que nem pensamos, que não fazem parte de nossa vida rotineira.

 

Cuidado especial de Deus

Pessoas de quem esperamos não receber nada.

É um cuidado especial de Deus.

Dar aos pobres também faz parte de celebrarmos as nossas vitórias e progressos que fizemos na vida.

Deus não nos dá coisas para nos sentirmos mal com elas depois.

São presentes resultantes de sua graça, para termos com o que acudir ao necessitado.

Quando nos entregamos a Jesus, não fomos chamados a viver num funeral, mas a ter vida sem fim (eterna).

Boas atitudes, mesmo que nos custem algo, devem ser encaradas com alegria e com celebração.

 

Morrer por nós mesmos

Deus nos chama para morrer para nós mesmos todos os dias para experimentarmos a Vida Dele.

A semente que morre produz uma nova planta.

Não ficamos mortos, ressuscitamos para uma nova vida (Romanos 6:4).

Muitos cristãos vivem suas vidas só na parte da morte (“tenho que morrer”) e não vive a ressurreição.

São tristes, abatidos, transmitem essa tristeza aos outros e creem que isso está certo.

Não podemos imaginar Jesus abatido, triste e sempre sério pois não é o que transmite uma pessoa cheia do Espírito.

Quem vai desejar a tristeza ou abatimento de outra pessoa?

 

Vivemos na morte

Se só vivemos na morte, não transmitiremos a vida de Jesus e ninguém vai querer isso.

O que as pessoas veem em alguém que é de Deus? Algo bom, bonito, agradável, que é paz, alegria, bom ânimo! É isso que as faz querer conhecer a Deus!

Em Lucas capítulo 15 vemos 3 histórias que o resultado foi celebração e alegria.

A ovelha perdida, a moeda perdida e o filho perdido.

Na história do filho pródigo, ele decidiu voltar pra casa para ser um empregado do pai pois os empregados estavam melhor que ele em sua situação.

Mas o pai nem pensou nisso, mandou fazer uma festa, colocar roupas novas, calçados, e um anel em sinal de alegria e convidou muita gente para celebrar.

O anel significa a posição de alguém na sociedade.Significava que ele voltava a ser filho (Lucas 15:1-32).

Observe também que em Mateus 22:2-10 o reino do Céu se assemelha a um rei que dá uma grande festa de casamento e chama todos a se alegrarem com Ele.

 

A Bíblia diz

A Bíblia diz 170 vezes para nos alegrar e mais outras tantas para nos animar.

A culpa e a auto piedade nos enfraquece sobremaneira, mas a alegria e bom ânimo nos fortalece.

Todos nós estamos limitados ao que pensamos de nós mesmos. Deus espera que usemos o que temos e não o que não temos.Precisamos pensar de nós o que Deus pensa.

Nunca teremos a vida de outra pessoa, somente a nossa. Precisamos ser ousados e criativos para pegar o que temos e o que somos para fazer diferença nesse mundo.

O contentamento com a vida não é um sentimento, mas uma decisão.

Contentamento não significa que não queremos melhorar, mas que faremos o melhor com o que temos e teremos uma atitude que nos ajude a desfrutar o dom da vida.

Celebrar a vida é algo que temos que fazer. Não é algo que esperamos cair do céu.

Jesus é Vida, então quando celebramos nossa vida, estamos celebrando a Deus!

Atenção:

Esse Artigo foi escrito por Mauro Melo do site Pregação Cristã para o Blog Contos e Estudos Bíblicos.

Portanto, todos os créditos desse artigo são atribuídos a Mauro Melo, ficando ele responsável por tudo o que escreveu neste post.

The following two tabs change content below.
Escrever, ler, estudar a Bíblia, orar pelos doentes... É o que José Guimarães e Silva faz,, diariamente. Também ir às igrejas e ouvir pregações acaloradas. Louvar o nome do Senhor Jesus. Fez estudos bíblicos na Escola Dominical da Igreja Presbiteriana de Pouso Alegre. Também fez estudos bíblicos com o Pastor Anderson Beiral, que faz Mestrado em Liderança pela Andrews University. E também com o Irmão Flávio. Reside atualmente em Cuiabá, Mato Grosso. José Guimarães e Silva é autor dos seguintes livros: Poesias Evangélicas, Orações ao Senhor Deus e Palavras que Transformam. Meu lema é: Quem não vive para servir, não serve para viver. O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará.

Latest posts by José Guimarães e Silva (see all)

Comente com Facebook

Comentários com Facebook

Leave a comment